Parametrização da NF-e (Federal) referente à NT 2015.003 (versão 1.30) no Microsoft Dynamics AX 2009 SP1

Sumário

Após a aplicação do KB3117101 para o AX 2009 SP1, o qual visa atender à NT 2015.003 que trata da Emenda constitucional 87/2015 e Lei Complementar 147 de 2014 (Convênio ICMS 92/15), faz-se necessário considerar os seguintes pontos.

1) Emenda constitucional 87/2015:
Definiu-se uma mundança na tributação do ICMS para os cenários de vendas interestaduais para consumidor final, não contribuinte do ICMS. Segundo a lei, neste cenário, o emissor da Nota Fiscal será o responsável por arrecadar o diferencial de alíquota do Estado de destino (além do chamado ICMS próprio).

A solução para atender este cenário no AX foi a criação de “Códigos de imposto sobre vendas” configurados como “Percentual da Diferença do ICMS” para serem usados neste cenário de venda (interestadual + consumidor final + não contribuinte do ICMS).

Importante: antes desta alteração, o uso do “Percentual da Diferença do ICMS” no AX era restrito à processo de compra de ativo ou de material de uso e consumo.

Isto definido e entendido, é a base para cada cliente analisar suas transações de vendas e identificar quantos e quais impostos de “diferencial de alíquota” precisam ser criados e como deve ser “estruturada” sua matriz de impostos/CFOP para sugerir os impostos corretos no momento da venda.

Este processo independe da aplicação do KB, sendo que esta análise pode e deve ser feita o quanto antes.

Nestes tipos de transações será necessária a presença de 2 impostos do tipo ICMS (Contabilidade > Configuração > Imposto sobre vendas > Códigos de imposto sobre vendas):

1.a) ICMS (interestadual) com a alíquota definida para este tipo de transação (interestadual + consumidor final + não contribuinte do ICMS).

1.b) ICMS marcado como tipo “diferencial de alíquota” que deve conter a alíquota configurada como a diferença entre a alíquota interestadual e a alíquota do Estado de destino. (clique na guia Cálculo > campo “Percentual da Diferença do ICMS”)

1.c) Contas a receber > Atividades Periódicas > Nota fiscal eletrônica (federal) > NF-e (federal) > selecionar a NF-e > botão Funções > Exportar XML > tag group ICMSUFDest e tags vICMSUFDest, vICMSUFRemet.
 
obs.: estas novas regras terão efeito em produção somente a partir de 01/01/2016 e portanto, caso a data do AX seja inferior à esta, como medida de segurança, ao lançar uma Nota fiscal para este cenário de venda (interestadual + consumidor final + não contribuinte do ICMS), a seguinte validação será mostrada impedindo o lançamento da mesma: “ICMS 6D must be used in interstate transactions, for final user and non-icms contributors.”

NT 2015.003 (versão 1.30):
Nesta primeira abordagem, o ICMS marcado como tipo “Percentual da Diferença do ICMS” deve ser configurado exatamente da mesma forma que já estávamos acostumados para utilização na compra (ativo / material de uso e consumo). Ou seja, o “Código de imposto sobre vendas” do tipo ICMS-DIF (diferencial) deve ser configurado pelo delta “Δ” das alíquotas interestadual e alíquota do estado de destino.

Ex.: no caso de uma mercadoria ter alíquota interestadual igual a 12%, e esta mesma mercadoria no estado de destino ter ICMS 18%.

Numa transação interestadual para consumidor final, não contribuinte do ICMS, esta transação deverá conter necessariamente:
- um imposto do tipo ICMS (próprio) configurado como 12%
- um imposto do tipo ICMS-DIF (diferencial) configurado como 6%

2) Lei Complementar 147 de 2014 (Convênio ICMS 92/15):
Adiciona o novo campo CEST (Código Especificador da Substituição Tributária), que identifica a mercadoria passível de sujeição aos regimes de substituição tributária e de antecipação do recolhimento do imposto, relativos às operações subsequentes.

O AX foi alterado para permitir o cadastro deste código tanto na tabela de “Itens” como na tabela de “Classificação Fiscal”. Durante a geração do documento fiscal, se este código estiver cadastrado, ele será automaticamente informado.

2.a) Gerenciamento de estoque > Detalhes do item > selecionar item > tab ‘Informações fiscais’ > campo CEST (ex.: CEST = 01.001.00).

2.b)
Básico > Configuração > Brasil > Códigos de classificação fiscal > tab Geral > campo CEST (ex.: CEST = 01.001.00).

2.c) Contas a receber > Atividades Periódicas > Nota fiscal eletrônica (federal) > NF-e (federal) > selecionar a NF-e > botão Funções > Exportar XML > tag CEST (ex.: <CEST>0100100</CEST>).

obs.: a hierarquia de busca será executada primeiramente na tabela de “Itens”, e depois na tabela de “Classificação Fiscal”.

Mais Informações

Nota Técnica 2015.003 - v.1.30 (ICMS em Operações Interestaduais de Vendas a Consumidor Final)
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=uXFlhOSgUZc=

Emenda Constitucional 87/15
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc87.htm

Lei Complementar nº 147, de 7 de Agosto de 2014
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp147.htm

Convênio ICMS 92, de 20 de Agosto de 2015
https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/convenios/convenio-icms/2015/convenios-icms-92-15

Tabela oficial do CEST (publicada no site do CONFAZ)
https://www.confaz.fazenda.gov.br/anexo-i.pdf
Propriedades

ID do Artigo: 3125858 - Última Revisão: 15 de dez de 2015 - Revisão: 1

Comentários